Trabalhadores da construção podem entrar em greve

Trabalhadores da construção civil de Curitiba e Região Metropolitana podem entrar em greve a partir do dia 17 de julho. Depois de uma reunião com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR), a categoria fez uma assembleia em Curitiba, na quarta-feira (4) e decidiu aprovar o estado de greve. 

O sindicato patronal ofereceu reajuste de 7,5%, que representa 4,86% de INPC e mais 2,64% de aumento real. Os funcionários querem um reajuste de 37%, além de discutir questões como acidentes de trabalho, condições dos locais de trabalho nas obras e excesso de horas diárias cumpridas.

De acordo com o presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado do Paraná (Fetraconspar), Geraldo Ramthun, o pedido de reajuste foi baseado na produção da indústria da construção civil e no lucro das construtoras. ”Foram quatro meses de negociação e o Sinduscon não ofereceu nada”, disse. A data-base da categoria é junho.

No dia 10 de julho acontece uma nova rodada de negociação com o Sinduscon-PR. No dia 16 de julho, os trabalhadores fazem uma assembleia que pode decidir pela greve a partir de 17 de julho. A princípio a greve atingiria os 50 mil funcionários de Curitiba e Região Metropolitana, mas pode se estender para Londrina, Maringá e Cascavel. A principal consequência de uma paralisação por tempo indeterminado seria o atraso na entrega das obras.

 

Fonte: bonde.com.br