Arquivo da tag: reajuste

Operários da construção civil fazem protesto nas avenidas de Fortaleza

Trabalhadores pedem reajuste salarial de 7,8% para 14%.
Categoria deve se reunir na Praça Portugal.

Operários da construção civil realizam protesto por ruas e avenidas de Fortaleza nesta quarta-feira (1º). Segundo Nestor Bezerra, dirigente do Sindicato da Construção Civil, a categoria percorre as Avenidas Engenheiro Santana Júnior, Santos Dumont e Avenida Frei Cirilo, no Bairro Messejana, além de avenidas nos bairros Cocó e Cambeba. O objetivo é parar todos os canteiros de obras de Fortaleza.

Ainda segundo Nestor Bezerra, os trabalhadores vão se reunir por volta das 10h, na Praça Portugal. No local, a categoria vai decidir se retornar para os canteiros de obra ou continuam com as paralisações.

Reinvindicações
Os trabalhadores pedem reajuste salarial de 7,8% para 14% e o aumento na cesta básica dos trabalhadores em construção civil de R$ 90 para R$ 130,00.

A categoria informou também que já foram realizadas várias rodadas de negociações com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), mas não chegaram em nenhum acordo.

Em  nota, o Sinduscon disse que ”a greve dos operários da construção civil, promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (STICCRMF), é ilegal e abusiva, uma vez que eles estão descumprindo a lei de greve”. Os trabalhadores, segundo o Sinduscon, descumprem ordem judicial, além de invadir, depredar canteiros e ameaçar trabalhadores.

g1.globo.com

 

Trabalhadores da construção pesada têm nova conciliação nesta sexta-feira

Sindicato dos trabalhadores espera sair da audiência com um bom acordo para a categoria

Os trabalhadores da construção pesada têm uma nova audiência de conciliação marcada para esta sexta-feira (14) no Tribunal Regional do Trabalho no Estado (TRT-ES). O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil do Estado (Sintraconst-ES) e o Sindicato da Industria da Construção Pesada do Estado (Sindicopes) tentam nova mediação para o acordo coletivo dos trabalhadores.

A greve dos trabalhadores já completou um mês sem que uma proposta positiva para a categoria fosse apresentada. Esses trabalhadores atuam em grandes obras, como a construção de estradas e obras públicas.
O presidente do Sintraconst, Paulo César Borba, o Carioca, se diz confiante com a possibilidade de haver uma proposta que atenda aos trabalhadores. Após a realização da mediação deve ser feita uma assembleia com a categoria no mesmo local para avaliação das propostas.
Até o início deste ano, os trabalhadores da construção pesada  eram representados pelo Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada (Sindopen), criado na base do Sintraconst, que negociava pelos Sindicopes, a entidade patronal.
No entanto, a Justiça entendeu que as atividades dos trabalhos da construção civil e da construção pesada são afins, determinando a representação ao Sintraconst.
A remuneração dos trabalhadores da construção pesada ainda é defasada em relação aos da construção civil. A estratégia do Sintraconst é equiparar o reajuste desses trabalhadores com os da construção civil e ir avançando nos anos seguintes.
 

Custo da construção registra alta de 0,14%

Índice do SindusCon e da FGV apura valores do setor e serve para reajustar contratos de obras em andamento

Os contratos de obras são regidos pela variação do CUB

O Custo Unitário Básico (CUB), que reajusta os contratos de obras, registrou leve alta de 0,14% em agosto ante julho. Calculado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o CUB é o índice oficial que reflete a variação dos custos do setor para a utilização nos contratos.

Em agosto, os custos das construtoras com materiais subiram 0,33% ante julho, enquanto os custos com mão de obra e administrativos (salários dos engenheiros) ficaram estáveis em igual base de comparação.  A média ponderada entre os três itens resultou na variação de 0,14% do CUB representativo da construção paulista (RN-8), que em agosto ficou em R$ 1.019,77 por metro quadrado.

No acumulado de 2012 até agosto, o CUB registra alta de 6,77%, com elevação de 9,67% nos custos com mão de obra, avanço de 3,00% nos custos com materiais e acréscimo de 7,68% nos custos administrativos.

Nos últimos 12 meses encerrados em agosto, a variação do CUB é de 7,06%. Dos 41 itens pesquisados, entre os que tiveram os maiores reajustes ema gosto estão disjuntor tripolar 70 A (1,60%); placa de gesso para forro sem colocação (1,56%); granito polido para piso 40×40 cm (1,37%); óleo diesel (0,95%); aço CA-50 10mm (0,94%) e brita 2 (0,78%).

Fonte: jornalacidade.com.br