Arquivos da categoria: Cursos

Cursos profissionalizantes do setor da construção têm inscrições abertas

Sinduscon-PA promove capacitação com apoio do Sebrae e empresa.
Palestras capacitam sobre instalações hidrossanitárias.

O Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará (Sinduscon-PA) abriu inscrições para capacitação sobre instalações hidrossanitárias, em Belém. De acordo com o sindicato, os cursos de capacitação são importantes para superar um dos maiores entraves no setor da construção no Pará: a falta de mão de obra qualificada.

Nesta terça-feira (13), em parceria com o Sebrae e com uma empresa, o sindicato promoverá duas palestras sobre as perspectivas das Normas de Desempenho em Edificações. A primeira delas que ocorre nesta terça terá como tema central os critérios para as instalações hidrossanitárias. Já a da próxima quinta-feira (15) abordará os principais problemas nestas instalações.

As palestras são direcionadas a engenheiros, arquitetos, instaladores, técnicos em edificações, estudantes de engenharia civil e demais interessados e serão ministradas na Central de Serviços do sindicato pelo engenheiro de assistência técnica Paulo César Corrêa Vieira. A inscrição pode ser feita pelo site do sindicato e o custo será a doação de um brinquedo.

“Na primeira palestra iremos tratar dos novos critérios que as instalações hidrossanitárias devem atender para que as edificações tenham o seu pleno funcionamento, focando também nas responsabilidades de construtoras, fabricantes de materiais, projetistas, incorporadores e usuários. Já na segunda, o assunto será a ocorrência de danos nas instalações prediais, analisando o diagnóstico e a terapia para correções e ações preventivas”, comenta o presidente do Sinduscon, Marcelo Castelo Branco.

Mercado
Para atuar na área de instalações hidrossanitárias, é necessário que o profissional tenha passado por um curso técnico preparatório ou já estar trabalhando no setor da construção civil, passando por todas as etapas desde ajudante, meio-profissional até chegar a encanador.

Os cursos mais indicados são os técnicos em instalações hidráulicas, hidrossanitárias, residencial, predial e industrial. A profissão exige um profissional atento, capacitado e constantemente atualizado quanto às normas técnicas de desempenho em edificações. Entre suas principais atribuições está o planejamento e execução de toda a parte hidráulica e sanitária da obra, incluindo o cálculo de dimensões, altura e níveis de água.

O profissional capacitado pode atuar como autônomo, prestador de serviços. Ele também é encontrado na construção civil, em cargos como bombeiro hidráulico, encanador ou encarregado de hidráulica. A média salarial fica em torno de R$ 1.700 e R$ 2.800 mensais.

Serviço: As inscrições para as palestras podem ser feitas na Central de Serviços do Sinduscon, localizada na avenida Nazaré, 649. Mais informações: (91) 3241-8383

fonte: g1.globo.com

Secretaria prepara mulheres para atuarem na construção civil

No dia 25, a secretária-adjunta da Secretaria da Mulher do DF, Valesca Rodrigues Leão, participou da aula inaugural da terceira etapa do programa Mulheres na Construção.

As duas turmas formadas para esta fase (uma de pintora e outra de azulejista) compreendem as vagas remanescentes de ex-alunas. O curso é uma iniciativa da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), em parceria com a Secretaria da Mulher, com o Instituto Federal de Brasília (IFB) e com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF).

O Programa Mulheres na Construção é uma proposta para qualificação de pessoas, prioritariamente mulheres, e beneficiários de programas sociais de transferência de renda. Na primeira edição do programa, foram oferecidas cinco turmas, sendo três para pintora de obras e duas para azulejista, cada turma com 40 vagas.

Para Valesca Leão a inserção das mulheres em áreas do mercado predominantemente masculinas é um dos caminhos para se mudar o cenário de uma economia machista. “No setor da construção civil, estes valores assumem uma concepção ainda maior, tendo em vista que este é um ramo novo para a maioria das cursistas e que será conquistado e desbravado por elas, no projeto Mulheres na Construção”, destacou.

O diferencial deste curso é que vai além do ensinamento técnico. Ele oferta, também, noções de cidadania e direitos da mulher, direitos do trabalho, economia solidária e empreendedorismo, além de matemática e português aplicados, bem como conhecimentos relacionados à formação profissional de azulejista e pintora de obras.

fonte: vermelho.org.br

Serviço Social da Indústria da Construção abre vagas para cursos

São 2.500 vagas para aulas profissionalizantes em diversas funções.
Após o curso, alunos são cadastrados no banco de empregos do serviço.

Nesta segunda-feira (17) e na terça (18) o Serviço Social da Indústria da Construção (Seconci-Rio) vai oferecer 2.500 vagas para cursos profissionalizantes em diversas funções. As inscrições poderão ser feitas no Centro Profissional da Construção Civil, na Estrada dos Bandeirantes 4.457, Curicica, na Zona Oeste, que funciona das 8 às 17h. Durante este dois dias, também haverá no local um posto de troca de óleo de cozinha usado por materiais de limpeza, como mostrou o Bom Dia Rio.

As vagas disponíveis são para os cursos de carpinteiro, armador, pintor, pedreiro de revestimento em argamassa e cerâmico, pedreiro de revestimento em argamassa, aplicador de revestimento cerâmico, pedreiro de alvenaria estrutural, pedreiro de alvenaria, almoxarife,encanador instalador predial e eletricista de obras.

Há vagas, também, para o curso de iniciação profissional para servente de obra. De acordo com a nova convenção coletiva de trabalho, o piso salarial do profissional da construção civil no Rio é de R$ 1.293,60, e o de servente, R$ 952,60, 21,6% maior que o salário mínimo do Rio de Janeiro para o setor, que é de R$ 783,31, e 53% maior que o salário mínimo nacional, de R$ 622.

Os cursos terão carga horária entre 160 e 280 horas. Os candidatos, homens e mulheres, devem ter entre 18 e 40 anos e escolaridade mínima de 5º ano. Mas alguns cursos exigem escolaridade maior, como o de eletricista, por exemplo. Ao concluírem o curso, todos os alunos são cadastrados no banco de empregos do Seconci, que é acessado por mais de mil empresas do setor da construção no Rio. O cadastro no banco de oportunidades do Seconci também poderá ser feito por candidatos a vagas de empregos na construção civil.

Fonte: g1.globo.com