Balanço parcial mostra crescimento de 42% na construção civil em 2012

Até o final de outubro de 2012, foram construídos 237.175,37 metros quadrados em edificações no município

Edifícios crescem na paisagem central da cidade, com edificações de alto padrão. Nos bairros, são os sobrados e prédios menores

Edifícios crescem na paisagem central da cidade, com edificações de alto padrão. Nos bairros, são os sobrados e prédios menores

O setor da construção civil está crescendo em Guarapuava. É o que mostra balanço preliminar divulgado pela Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo, através do Setor de Alvarás. Até o final de outubro de 2012, foram construídos 237.175,37 metros quadrados em edificações no município, quantidade 42,5% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

De janeiro a outubro de 2011, foram erguidos em Guarapuava 166.415,9 metros quadrados em edificações. No mesmo período de 2012, houve a concessão de 659 alvarás para construções iniciadas. Foram permitidos também outros 619 alvarás para obras concluídas e vistoriadas até 23 de novembro deste ano.

Para o delegado regional do Creci-PR (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Paraná) e empresário do setor imobiliário, José Losso, os números demonstram que Guarapuava está inserida em um fenômeno nacional de estímulo à construção civil. “Estamos experimentando um crescimento espetacular no mercado imobiliário brasileiro nos últimos anos. E, em nossa cidade, isso não é diferente”, constata. “É o quarto ou quinto ano em que se supera o período anterior em área construída”, acrescenta.

O fenômeno é estimulado pela abertura de crédito experimentada ao longo do período e pelo aumento de prazos de financiamento, despertando o interesse de pessoas que possuíam um determinado capital para investimento. “Só em 2012, no Brasil, são mais de R$ 200 bilhões disponibilizados ao mercado imobiliário. Isso desencadeou a corrida para realizar o sonho da casa própria”, comenta Losso.

O gerente comercial de uma construtora da cidade, Paulo Antonete, também acredita no setor habitacional como um dos propulsores do crescimento identificado no município. “O crédito pleiteado pelo programa Minha Casa, Minha Vida é o motor de viabilização desse crescimento. Posso dizer que 98% das vendas em nosso departamento comercial são procuras pelo financiamento”, revela. “Temos imóveis para venda direta, que não se enquadram no programa, com um subsídio bom. Mas não temos tanto resultado comercial quanto pelo Minha Casa, Minha Vida”, acrescenta.

Fonte: www.diariodeguarapuava.com.br