Arquivo mensais:março 2012

Indicador de atividade da construção civil melhora em fevereiro, diz CNI

Índice de atividade sobe de 47 para 49,4 pontos de janeiro para fevereiro. 
CNI considera que setor está em queda quando abaixo de 50 pontos.

O indicador do nível de atividade da construção civil passou de 47 pontos em janeiro deste ano para 49,4 pontos em fevereiro, segundo informou nesta segunda-feira (26) a Confederação Nacional da Indústria (CNI), que realizou pesquisa com 421 empresas do setor entre 1º a 14 de março, sendo 146 pequenas empresas, 170 médias e 105 grandes.

Apesar da melhora, a CNI informou que o nível de atividade ainda registrou queda em fevereiro deste ano, uma vez que o índice ficou abaixo de 50 pontos. O indicador calculado pela entidade, varia no intervalo de zero a 100, sendo que valores acima de 50 pontos indicam aumento.

Os números da CNI também mostram, porém, que houve uma melhora na evolução do nível de empregados, cujo indicador passou de 49 pontos em janeiro para 50,8 pontos em fevereiro – o que configura “expectativa positiva”. O índice está acima até do registrado em fevereiro do ano passado (50,7 pontos).

Atividade em relação ao usual
Os dados coltados pela CNI revelam ainda que a atividade ficou abaixo do “usual” em fevereiro, com o indicador somando 49,1 pontos, contra 50 pontos em janeiro deste ano. Em fevereiro de 2011, o índice estava em 50,4 pontos. Neste caso, valores acima de 50 indicam atividade “acima do usual”.

De acordo com a pesquisa, há oito meses consecutivos as empresas de pequeno porte estão com indicador de nível de atividade usual abaixo dos 50 pontos, sinalizando queda em relação ao mesmo mês do ano anterior. Já as empresas de médio e grande portes ficaram praticamente estáveis em relação ao usual para fevereiro. O indicador das médias empresas registrou 49,9 pontos e o das grandes empresas, 49,3 pontos.

O economista da CNI, Danilo Garcia, avaliou que há uma tendência de recuperação da atividade do setor, mas acrescentou as pequenas demoram mais para se recuperar. “Pela própria estrutura, mais enxuta, as pequenas empresas têm mais dificuldades para negociar com fornecedores e dar volume aos seus negócios”, disse ele.

Otimismo em alta
Apesar da fraca atividade nos primeiros meses do ano, o otimismo dos empresários da construção em março continua elevado, com indicadores acima dos 60 pontos, informou a CNI.

As expectativas para os próximos seis meses em relação ao nível de atividade registraram 61,9 pontos neste mês e para novos empreendimentos e serviços assinalaram 61,1 pontos, segundo o levantamento. Já as perspectivas para compras de insumos e matérias-primas atingiram 62 pontos e sobre o número de empregados marcaram 60,2 pontos, sinalizando que o setor pretende contratar mão de obra nos próximos meses, acrescentou a entidade.

Para Danilo Garcia, da CNI, a confiança manifestada pelos empresários na sondagem indica que o cenário da construção não deve piorar. “É difícil avaliarmos se a atividade do setor vai crescer ou ficar estável, mas o sinal é de que o pior para o setor passou”, afirmou.

Fonte: www.expressomt.com.br

Emprego na construção civil avança até fevereiro

Ao final do mês, o setor empregava 3,257 milhões de trabalhadores com carteira assinada

A contratação de mais de 32,2 mil trabalhadores com carteira assinada levou a construção  civil a recuperar no primeiro bimestre deste ano praticamente todos os 83 mil postos de trabalho que haviam sido fechados por conta da sazonalidade em fevereiro.

Ao final de fevereiro, o setor empregava 3,257 milhões de trabalhadores com carteira assinada. É o que mostra a pesquisa mensal feita pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) com a FGV.

Segundo o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, a recuperação já era esperada em função do grande volume de obras que o setor deverá ter em 2012 tanto na área de habitação como na de infraestrutura.

No ano, foram contratados mais de 83,1 mil trabalhadores (+2,62%). Nos doze meses encerrados em fevereiro foram mais 213.280 (+7,01%).

Em fevereiro, a região do país que mais contratou em número de trabalhadores foi a Sudeste (+20,6 mil). Em termos percentuais, foram a Norte e a Centro-Oeste, ambas com alta de 1,4%.

No mês passado, a construção civil paulista empregou mais 5.553 trabalhadores (+0,67%). No acumulado do ano foram contratados mais 18.824 (+2,31%). No fim de fevereiro, o Estado de São Paulo tinha 835 mil trabalhadores na construção.

No interior do Estado, a região de Campinas liderou as contratações, com alta de 1,59% (+1.359 trabalhadores), seguida por Presidente Prudente, com alta de 1,25% e Ribeirão Preto (+1,24%).

Fonte: ultimoinstante.com.br

Aumento nos acidentes na Construção Civil provoca mudanças nas normas regulamentadoras do setor

Com o intuito de reduzir os acidentes na construção civil e promover a correta utilização de equipamentos, 5ª Jornada de Segurança na Construção Civil será realizada pela Casa do Construtor para profissionais do setor preocupados com a prevenção de acidentes

Profissionais da Construção Civil estão expostos aos mais variados riscos em seu ambiente de trabalho: equipamentos utilizados de maneira incorreta, falta de itens de segurança e até andaimes improvisados expõem não só a saúde, mas a vida dos trabalhadores. Com o aumento no número de acidentes, as normas regulamentadoras do setor estão mudando e é necessário que os profissionais se adéquem a elas.

No dia 26 de abril, tais profissionais têm um compromisso importante: a 5ª Jornada da Construção Civil, realizada pela Casa do Construtor no Hotel Tauá, na cidade de Atibaia (SP).

O evento reunirá especialistas que sabem que a prevenção de acidentes é a melhor maneira de ter qualidade de trabalho em uma obra. “Das atitudes simples às mais elaboradas, é preciso conscientizar os operários, engenheiros, mestres-de-obras e até quem não é profissional, mas se ‘aventura’ em atividades relacionadas à construção, que há regras a serem seguidas para evitar acidentes”, comenta Expedito Arena, sócio-diretor da Casa do Construtor, engenheiro civil e especialista em equipamentos para a construção.

A Casa do Construtor é uma rede com mais de 120 franquias que atuam com locação de equipamentos para a Construção Civil. A marca está em 20 estados e abre a oportunidade de participar da Jornada a clientes de todas as suas lojas e demais interessados no setor. “Os clientes são nossos parceiros e, por isso, devem receber informação privilegiada quanto à utilização dos equipamentos de maneira correta, atendendo 100% às normas de segurança vigentes”, explica Arena.

Ele comenta que o Brasil registra anualmente, em média, 23 mil acidentes de trabalho no setor. Ainda que a Casa do Construtor só trabalhe com fornecedores homologados e siga as normas à risca, não impede que acidentes ocorram, normalmente pelo mau uso dos equipamentos. Arena vê três principais causas para este grande número de acidentes no setor:

– Falta de mão-de-obra especializada;
– Falta de conscientização quanto à necessidade de utilizar equipamentos de proteção individual e coletiva;
– Falta de informação quanto às normas e condições de meio ambiente na indústria da construção civil.

Procurando minimizar estes problemas, a 5ª Jornada de Segurança na Construção Civil trará para discussão alguns temas relacionados à segurança nas obras e na utilização dos equipamentos, dos quais participam técnicos e engenheiros de segurança, clientes e pessoas interessadas no assunto. “Todos devem e podem colaborar para melhorar as condições e o ambiente de trabalho na construção civil”, analisa o engenheiro.

Confira a programação:

Tema: A importância da Segurança na Construção Civil
– Eng. Expedito Arena – Sócio-franqueador da Casa do Construtor

Tema: Principais alterações da NR-18
– Eng. Antônio Pereira do Nascimento – Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE/SP – Coordenador do CPR/SP e Membro do CPN

Tema: Mudança de paradigmas e as interfaces da NR-12 com outras normas regulamentadoras
– Eng. Armando Campos, Mestre em Sistemas de Gestão, Professor da PUC/PR

Tema: A Magia de Viver com Segurança
– Eng. Pedro Manzano, especialista em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas e formado em Gestão de Pessoas